segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

A MÚSICA E A HISTÓRIA: VELHA CHICA- WALDEMAR BASTOS (PARTICIPAÇÃO ESPECIAL: DULCE PONTES)


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?


Cantor que une influências musicais do pop africana, fado português e música brasileira, Waldemar Bastos é uma referência obrigatória quando se fala em música angolana, trazendo ao ouvinte uma sonoridade bastante peculiar e emotiva, expressando toda a vasta musicalidade de Angola e de todo o continente africano, fazendo muito sucesso em países de língua portuguesa, especialmente em Portugal.
 As músicas cantadas por Waldemar Bastos falam da dura realidade vivida por Angola, que vive sendo assolada por décadas com violentas guerras civis, fome e pobreza extrema, expressando a dor e indignação do povo angolano. Além das letras de protesto, as canções de Waldemar Bastos também falam das antigas tradições angolanas e africanas, da alegria de viver e contam a História de seu povo, com ritmos mais animados e contagiantes.
 A canção Velha Chica foi lançada em 1999, faz parte do álbum Primeiro Canto, feito em colaboração da cantora portuguesa Dulce Pontes, sendo um momento inesquecível na carreira de ambos. De forma bastante emotiva, a música conta a estória de uma idosa, remetendo a situação social de Angola e o desejo dela de ver a paz em seu país e no mundo, sendo uma forte crítica a política local. Acima está uma apresentação de Waldemar Bastos junto com Dulce Pontes ao vivo feita especialmente para uma emissora televisão portuguesa, muito bonita, merece ser assistido. Abaixo está a letra original da música, confiram. Um grande abraço, uma boa semana, tudo de bom, ATÉ A PRÓXIMA.



VELHA CHICA

 Antigamente a velha chica
vendia cola e gengibre
e lá pela tarde ela lavava a roupa
do patrão importante;
e nós os miúdos lá da escola
perguntávamos à vóvó Chica
qual era a razão daquela pobreza,
daquele nosso sofrimento.
Xé menino, não fala política,
não fala política, não fala política.

Mas a velha Chica embrulhada nos pensamentos,
ela sabia, mas não dizia a razão daquele sofrimento.
Xé menino, não fala política,
não fala política, não fala política.

E o tempo passou e a velha Chica, só mais velha ficou.
Ela somente fez uma kubata com teto de zinco, com teto de zinco.
Xé menino, não fala política, não fala política.

Mas quem vê agora
o rosto daquela senhora, daquela senhora,
só vê as rugas do sofrimento, do sofrimento, do sofrimento!
E ela agora só diz:
"- Xé menino, quando eu morrer, quero ver Angola viver em paz!
Xé menino, quando morrer, quero ver Angola e o Mundo em paz!"

domingo, 28 de fevereiro de 2016

RETRÔ:SUPER MARIO BROS


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Você conhece o simpático personagem da imagem acima? Ele é responsável por uma das franquias mais bem sucedidas do mundo dos games. Somando todos os jogos estrelados por ele já venderam mais de 520 milhões de cópias em todo mundo, sendo o personagem símbolo da Nintendo, empresa de jogos eletrônicos, tendo games dele em todos os consoles da empresa, desde o mais antigo até o mais recente, claro que estou falando do Super Mario Bros.
 Criado pelo designer gráfico japonês Shigeru Miyamoto em 1981, Mario Bros apareceu pela primeira vez no game para arcade Donkey Kong com o nome de Jumpman. Nesse game, Mario tenta salvar sua namorada das garras de um gorila, uma alusão clara aos filmes do King Kong, porém o jogo é baseado nos desenhos animados do Popeye, porém a Nintendo não foi autorizada  a fazer o game, por questão de direitos autorais do personagem.
 O sucesso do protagonista de Donkey Kong foi tão grande, que obrigou Miyamoto a criar um jogo solo do personagem, chamado Super Mario Bros, lançado para console NES em 1985, alterando o nome de Jumpman para Mario, em homenagem ao representando italiano da Nintendo nos Estados Unidos, que tinha o nome de Mário e era muito parecido com o personagem do game.
 O sucesso do game foi tão gigantesco, que a Nintendo produzido para o NES as sequências Super Mario Bros 2 (1988) Super Mario Bros 3 (1989), com gráficos melhorados, novos personagens, mapas e jogabilidade mais dinâmicas, sendo bem sucedidas, iniciando aí uma das franquias mais duradoras e divertidas do mundo dos games.
 Com o advento do Super Nintendo nos anos 90, tendo a possibilidade de gráficos ainda melhores e de fazer games emocionantes, a Nintendo lançou em 1991 Super Mario World, um dos melhores jogos da franquia, acrescentando novos personagens, cenários onde o jogador pode escolher o caminho, várias passagens secretas, sendo um sucesso estrondoso em todos os países do mundo, inclusive no Brasil.
 Aproveitando do sucesso de Super Mario World, a Nintendo lançou  em 1993 Super Mario All-Stars, cartucho que reunia toda a trilogia lançada para o NES, mais o game Super Mario Bros: The Lost Levels (só foi lançado nos estados unidos e seria a sequência original de Super Mario Bros), com gráficos e trilhas sonoras melhoradas, mantendo a jogabilidade clássica e divertida de sempre.
 Daí em diante não parou mais de fazer jogos da franquia Super Mario Bros para os consoles Super Nintendo, Nintendo 64, Nintendo Wii, Nintendo Wii-U, Nintendo DS e para PC, como Mario Kart, Mario 64, Super Mario RPG, Super Mario Galaxy e tantos outros, todos com sucesso de crítica e de vendas, mando esse personagem sempre no topo dos favoritos dos fanáticos por games, com toda certeza é um clássico que nunca sairá de moda para aqueles que gostam de jogos divertidos, salvar a princesa e o Mundo dos Cogumelos das mãos do vilão Bowser é uma missão irrecusável para todos os fãs da franquia Super Mario Bros.

Um grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima. 

sábado, 27 de fevereiro de 2016

PROGRAMA CORREIO CULTURAL: FEVEREIRO


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Quase  um mês depois da apresentação do último, na última sexta feira (26/02/2016) foi ao ar na rádio 979 FM Cidade Sul de Santa Rosa do Sul mais uma edição do Correio Cultural, programa apresentado por mim, sendo o primeiro apresentado esse ano, abrindo a temporada 2016. Confira o programa sem cortes no link abaixo:



Nessa edição do programa, prosseguindo com a grande novidade que agitou o programa anterior: divulgação de artistas locais, no intuito de mostrar o trabalho deles no rádio, nesse programa falamos das bandas Anônimos da Silva e Eletro Rover. Dessa vez, o programa foi todo voltado para as temáticas culturais e Históricas de Santa Rosa do Sul e da região, sendo um programa temático, sendo abordado os seguintes temas:

Filme: Santa Rosa do Sul Minha Terra;
Livro: Santa Rosa do Sul Raízes de Rolando Cristian;
Visita das representantes da Polvilhana e da secretária municipal de cultura de Santa Rosa do Sul na Arrancada de Caminhões em Balneário Arroio do Silva;
CarnaRock;
Igreja da Peroba;
Gastronomia típica de Santa Rosa do Sul;
Poema: Amor e Sabedoria de Andrio Cardoso Pereira.
Músicas: Santos Reis está chamando- Família Dias e Epitáfio- Titãs


 Para finalizar,  seja quem ouviu ao vivo ou pela internet, quero agradecer de coração a todos, meu programa é feito com muito carinho e dedicação. Como todos sabem, não sou profissional, estou me esforçando ao máximo nesse projeto, vejo que está dando ótimos frutos e que a cultura tem vez no mundo do rádio, dia 25 de março teremos mais uma edição do programa, quem quiser sugerir algum tema cultural, pode me chamar inbox pelo Facebook, acessar a página https://www.facebook.com/correioculturalandrio/, comentando nessa postagem daqui do blog ou  pelo mail andriocardosopereira@hotmail.com e correiocultural@outlook.com que irei anotar com todo carinho. Sobre a divulgação das bandas e artistas locais no programa, todo programa  terá uma ou duas bandas homenageadas, mande a música, nome dos componentes e um pequeno histórico da banda através dos contatos citados acima. Apoiadores culturais, basta entrar em contato comigo, no momento preciso de patrocínios para manter esse projeto no ar.

Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima! 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

POEMA: AMIZADE VALE MAIS DO QUE OURO




Faça seu próximo feliz,
De um abraço apertado, um sorriso,
Fale somente coisas que levante seu astral,
Isso não custa absolutamente nada,
Ganhará um novo amigo,
Fará bem ao seu coração,
Amizade vale mais do que ouro.

Autor: Andrio Cardoso Pereira


Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA!

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

SRS ESPECIAL: BEM VINDO A SANTA ROSA DO SUL (CURTA-METRAGEM)



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Esse curta-metragem da ANDRIOFILMES, feito em 2010, primeiramente um trabalho acadêmico para apresentar na faculdade, o último que realizei dentro das paredes da Unisul. Foi a primeira vez que fiz um trabalho totalmente sobre o munícipio, despertando assim o interessante pela História e cultura de Santa Rosa do Sul.
 A ideia do trabalho consistia simplesmente em realizar um curta-metragem amador contando um pouco da História, cultura, potencial turístico e aspectos gerais do munícipio de Santa Rosa do Sul, de forma simples e direta. A apresentação na sala de aula foi um sucesso, depois resolvi colocar no Youtube e divulgar, mas grandes surpresas me aguardavam mais pela frente.
  O curta-metragem também deu uma repercussão enorme no Youtube, chamando muita atenção da população do munícipio, que acabei sendo convidado pela Focalize Web TV e pelo Instituto Federal Catarinense (IFC) a apresentar esse trabalho em seus stands durante a quarta edição da Polvilhana (Festa do Polvilho e da Banana), sendo uma imensa alegria para mim.
  Confesso que esse trabalho ficou tosco, tem muitos erros, muita simplicidade, amadorismo total, mas esse foi o PRIMEIRO registro audiovisual ambientado em Santa Rosa do Sul e também meu primeiro trabalho oficial sobre o munícipio, mas a mensagem dele é de mostrar que nosso munícipio existe sim pessoas preocupadas e comprometidas com a História e a cultura, meu sincero desejo é que surjam outros trabalhos assim. Abaixo está o vídeo, cliquem PLAY e confiram:


Grande abraço, até a próxima!

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

CINE HISTÓRIA: UMA NOITE EM 67 (2010)


FICHA TÉCNICA

Título Original Uma Noite em 67
Duração: 93 min. 
Ano: 2010
Diretor:  Renato Terra e Ricardo Calil
País: Brasil
Idiomas disponíveis e legendas: Português 
Gênero: Documentário/ Musical
Temática: História da Televisão/ Cultura Brasileira dos Anos 60/ História da Música Brasileira 


COMENTÁRIO

 Produzido pela emissora de televisão Rede Record, Uma Noite em 67 é um resgate importante, trazendo imagens cuidadosamente restauradas e depoimentos emotivos dos próprios protagonistas, retratando um dos festivais de música mais importantes da televisão brasileira, o da TV Record realizado em 1967, responsável por articular o movimento tropicalista na MPB e por apresentar novos ídolos ao público, além de retratar a eferverscência cultural e política no Brasil dos anos 60, sendo uma das mais importantes páginas da História da música brasileira.
 Com depoimentos de Caetano Veloso, Sérgio Ricardo, Roberto Carlos, Jair Rodrigues, Chico Buarque, Gilberto Gil e muitos outros, contada pelos próprios protagonistas desse festival, esse filme narra os bastidores nunca antes revelados ao público, desde a criação das músicas, as apresentações, a expectativa dos artistas, o contexto histórico e político, a alegria dos vencedores, além é claro da recepção do público na hora e depois, mostrando que o Festival da Canção da TV Record em 1967 foi muito mais que um programa de televisão, o dia 21 de setembro de 1967 foi um verdadeiro evento histórico.
 Outro aspecto importante desse filme é a relação que o filme faz entre o momento político do Brasil nos anos 60, que vivia sob a égide do Regime Militar e efervescência cultural daquela época, surgindo diversos movimentos, como a Jovem Guarda, Tropicalismo e a música politicamente engajada, o qual dividia o gosto entre os jovens brasileiros, sendo esse festival que prenunciou uma verdadeira revolução cultural que viria acontecer no Brasil nos anos que seguiriam, responsáveis por uma mudança de mentalidade tanto na política e principalmente na cultura brasileira. Confirma abaixo o filme na integra:


Um grande abraço, BOA SESSÃO, até a próxima.   

terça-feira, 23 de fevereiro de 2016

LIVRO: 1001 PARA VER ANTES DE MORRER- STEVEN JAY SCHNEIDER


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Existem inúmeros livros disponíveis no mercado falando sobre cinema, alguns falam sobre a linguagem cinematográfica, outros sobre a História do cinema, outros ainda que falam sobre determinado gênero ou trabalhando somente com um filme específico, guias de filmes, enfim opções é o que não faltam, mas há um título que une um pouco disso tudo e um pouco mais, estou falando de 1001 Filmes Para Ver Antes de Morrer, editado por Steven Jay Schneider, com resenhas de críticos especializados de várias partes do mundo.
 Com uma linguagem de fácil entendimento, o livro apresenta em forma geral um histórico da produção cinematográfica de 1900 até 2000, mostrando filmes que se destacaram nesse período de cem anos em todos os gêneros existentes, de documentários até filmes super complexos, tendo produção cinematográfica de 30 países, sendo uma verdadeira lista com os melhores filmes já produzidos na História. Esse livro é uma das bases bibliográficas que estou usando na série sobre a coluna Cine História aqui nesse blog.
  Já como guia de cinema, 1001 Filmes é uma excelente ajuda, como já foi dito, há filmes de todos os tipos e gostos nas mais de 900 páginas dessa obra, tendo filmes novos e antigos. Constantemente essa obra vem sendo atualizada anualmente, para poder trazer as mais recentes produções cinematográficas, pois a versão original publicada no brasil  vai até o ano de 2007.
  Para aqueles que querem muita informação técnica, 1001 Filmes é riquíssimo nesse quesito, tendo fichas técnicas completas, quais prêmios que o filme ganhou, nome original, ano de produção, trilha sonora, além de ter bastidores da produção e explicação sobre os enredos do filme, tudo de forma simples, direta e muito divertida.
  Outra questão muito bacana de ressaltar é que o livro faz uma verdadeira viagem ao mundo através do cinema, lógico que a grande maioria dos filmes são de Hollywood, mas abre um espaço enorme para as produções de vários países, inclusive da América Latina, em especial o do Brasil, tendo os melhores títulos presentes de nosso cinema nessa obra.
 Enfim, é um livro realmente feito para todos aqueles que são fãs de cinema, sendo uma boa pedida para presente, todos filmes apresentados são de excelente qualidade e de bom gosto, além de ser um ótimo guia para escolher um filme para assistir, recomendo esse livro a todos.

Um grande abraço, boa leitura, até a próxima.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

A MÚSICA E A HISTÓRIA: FRETE- CHITÃOZINHO & XORORÓ



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Uma das duplas mais conhecidas da música sertaneja, Chitãozinho & Xororó são destaques por terem vozes afinadas e por uniram em seu repertório música sertaneja de raiz, country music, algumas pitadas de pop e romantismo, estando sempre nas paradas de sucesso desde os anos 70, além de serem referência obrigatória quando se fala em música sertaneja.
 Lançada em 2003, Frete faz parte da trilha sonora da série televisiva Carga Pesada exibida pela Globo, como já indica o título, a canção fala sobre a vida do caminhoneiro brasileiro que percorre o país inteiro, deixando para trás família e casa para buscar seu sustento, mesmo com a saudade, segue sua missão com alegria, tendo a parceria de outros caminhoneiros na estrada e conhecendo de norte a sul desse imenso Brasil. Confiram abaixo um vídeo com essa canção,  prestem bastante atenção na letra:



Grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima! 

domingo, 21 de fevereiro de 2016

RETRÔ: GODZILLA


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Você conhece conhece o monstro da foto acima? Ele é um dos personagens mais conhecidos do cinema japonês, responsável por ser pai dos tokusatsus (filmes ou séries japoneses com efeitos especiais e super-heróis), uma das franquias mais bem sucedidas da produtora Toho, estou falando logicamente do Godzilla (conhecido no Japão como Gojira), que em 2014 completou 60 anos do lançamento de seu primeiro filme, com direito a um remake hollywoodiano dirigido por Gareth Edwards.
 Criado em 1954 por Tomoyuki Tanaka (produtor), Ishiro Honda (diretor), Eiji Tsuburaya (especialista em efeitos visuais) e Akira Ifukube (compositor, é responsável pelo famoso rugido do monstro, que nada mais é um efeito de um contrabaixo com objeto de borracha), Godzilla é um gigantesco animal pré-histórico, ressuscitado por testes nucleares feitos no oceano, e invade a cidade de Tóquio, causando com sua fúria um rastro de destruição.
 Como em toda boa fábula, Godzilla é uma personificação do medo que os japoneses tem de armas nucleares, muitas cenas do primeiro filme remetem o sofrimento que Hiroshima e Nagasaki passaram no fim da Segunda Guerra Mundial (1939-1945) com o lançamento de duas bombas atômicas nessas cidades, causando um massacre nunca visto antes na História, ou em outras palavras, esse monstro é uma representação da BOMBA ATÔMICA. CLIQUEM AQUI PARA ASSISTIR O FILME ORIGINAL
 Com o estrondoso sucesso do primeiro filme, Godzilla protagonizou inúmeros outros filmes pela Toho (um inclusive lutando contra o King Kong), ganhou algumas versões cinematográficas feita por Hollywood, revistas em quadrinhos, desenhos animados e games, tornando ele um personagem muito popular até os dias de hoje.
 Tendo uma personalidade que oscila entre vilão (na grande maioria das vezes) e herói, Godzilla é um personagem muito presente na cultura pop, ele faz lembrar a importância de construirmos um mundo pacífico e que as potências mundiais devem parar de usar ou testar armas nucleares, essa é a grande mensagem  deixada por esse gigante do cinema japonês. 

Um grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

INFORMATIVO ESPECIAL: GABRIEL GARCIA MARQUEZ



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Nascido no dia 06 de março de 1927, na cidade de Aracataca, Colômbia, Gabriel Garcia Marquez é um dos grandes nomes da literatura latina-americana de todos os tempos, além de escritor, foi um grande jornalista, ativista, cineasta e político, tendo uma legião de admirados no mundo todo e um dos autores mais traduzidos, tendo obras publicadas em 36 idiomas.
 Sua paixão por contas estórias nasceu através do contato com seus avós e por ser um leitor assíduo, fatores que influenciaram fortemente seu estilo literário, o realismo mágico, o qual faz uma fusão de realidade com imaginário, geralmente retratando acontecimentos históricos ocorridos na Colômbia e na América Latina.
 Vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982, Gabriel Garcia Marquez foi autor de best-sellers como Relato de um Náufrago, Memória de Minhas Putas Tristes, Ninguém Escreve ao Coronel, Crônica de uma Morte Anunciada , Do Amor e outros Demônios, Cem Anos de Solidão O Amor nos Tempos do Cólera, esse último ganhou uma belíssima adaptação cinematográfica em 2007, dirigida pelo cineasta britânico Mike Newell, com  colaboração do autor e tem a participação da cantora Shakira na trilha sonora, convidada por Marquez.
 Como sua obra já revela, Gabriel Garcia Marquez era engajado politicamente, seguindo a ideologia socialista, criticava a exploração violenta dos regimes militares que dominaram a América Latina durante a Guerra Fria (1945-1989) e as malezas que povo latino-americano sofria devido ao capitalismo selvagem imposto por potências estrangeiras.
 Infelizmente no dia 17 de abril de 2014, devido uma pneumonia, Gabriel Garcia Marquez faleceu, causando uma grande comoção no mundo todo, seja no meio literário, político e cultural, mas sua obra agora tornou-se imortal e continuará encantar incontáveis gerações de leitores, transformando ele numa estrela brilhante de nossa literatura latina.

Um grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima.

  

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

SRS ESPECIAL: IGREJA SÃO PEDRO, COMUNIDADE DE PEROBA


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Considerada por muitos a comunidade mais antiga de Santa Rosa do Sul, Peroba começou a ter seus primeiros moradores em meados do século XIX, muitos sendo descendentes dos imigrantes italianos e alemães vindos da serra gaúcha, formando um povoado prospero, havendo um forte núcleo comercial naquela localidade. Vale a pena frisar que no mesmo lugar onde forma as atuais comunidades de Peroba, Novo Horizonte e Pontão, anteriormente teve a presença de grupos indígenas e remanescentes de comunidades quilombolas, que se miscigenaram com a presença dos imigrantes, formando uma cultura bastante interessante e heterogênea de outras comunidades do munícipio.    


 Como é comum em todas as comunidades de imigração, a grande maioria da população professora o catolicismo, no começo do século XX, mais precisamente em 1918, foi construída uma capela em honra ao padroeiro escolhido pela comunidade, São Pedro, sendo originalmente feito de madeira, como mostra a foto acima, tirada na década de 1940 pelo padre Raulino Reitz, autor do livro Paróquia de Sombrio.
 No final da década de 1940, iniciou a construção da atual igreja de alvenaria, substituindo a antiga capela de madeira, sendo uma das mais belas igrejas do munícipio de Santa Rosa do Sul, inspirada no molde arquitetônico das igrejas barrocas europeias e brasileiras, dando destaque pelos belíssimos altar e sacristia todo feito de madeira Peroba, tendo detalhes interessantes que precisam ser observados com bastante atenção, além de ser uma das únicas a ter uma sacada para abrigar os músicos, coisa que é bastante rara nas igrejas atuais, também feito de Peroba, além de detalhes floreados nas paredes e no chão.
 Além da beleza arquitetônica e artística interna, a Igreja São Pedro externamente também é belíssima, pintada com verde claro, também ornamentada com detalhes floreados, com detalhes em branco, além da linda paisagem natural da comunidade de Peroba que deixa esse patrimônio arquitetônico turístico, cultural e religioso ainda mais encantador e  que merece ser pelos turistas e por todos sul santarosenses.

Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima!   

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

POEMA: ACREDITO


Acredito em um mundo melhor,
Numa sociedade sem desigualdades,
Em um mundo sem ideologias ou doutrinas sem sentido,
Acredito que cada pessoa pode ser melhor a cada dia,
Em uma família para te apoiar,
Acredito que o bem sempre vencerá,
Acredito no amor,
Em que unidos podemos sair de qualquer problema,
Na liberdade sem excessos e digna para todos,
Acredito que a verdade liberta,
A honestidade é uma grande virtude,
O dinheiro usado com sabedoria um dom, com ganância um mal,
Acredito sim na existência de um ser celestial,
Em que exista sentimentos verdadeiros,
Enfim, acredito no amor, alegria e na vida.


Autor: Andrio Cardoso Pereira


quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

CINE HISTÓRIA: METRÓPOLIS (1927)



FICHA TÉCNICA

Título OriginalMetropolis 
Duração: 153 min.
Ano: 1927
Diretor:  Fritz Lang  
País:  Alemanha
Idiomas disponíveis e legendas: Alemão/ Português e Inglês
Gênero: Ficção Científica/ Épico/ Suspense/ Aventura/ Drama
Temática: Robótica/ Escravização dos seres humanos/ Luta pela liberdade

SINOPSE (Fonte: Adoro Cinema)

Metrópolis, ano 2026. Os poderosos ficam na superfície, onde há o Jardim dos Prazeres, destinado aos filhos dos mestres. Os operários, em regime de escravidão, trabalham bem abaixo da superfície, na Cidade dos Trabalhadores. Esta poderosa cidade é governada por Joh Fredersen (Alfred Abel), um insensível capitalista cujo único filho, Freder (Gustav Fröhlich), leva uma vida idílica, desfrutando dos maravilhosos jardins. Mas um dia Freder conhece Maria (Brigitte Helm), a líder espiritual dos operários, que cuida dos filhos dos escravos. Ele conversa com seu pai sobre o contraste social existente, mas recebe como resposta que é assim que as coisas devem ser. Quando Josafá (Theodor Loos) é demitido por Joh, por não ter mostrado plantas que estavam em poder dos operários, Freder pede sua ajuda. Paralelamente Rotwang (Rudolf Klein-Rogge), um inventor louco que está a serviço de Joh, diz ao seu patrão que seu trabalho está concluído, pois criou um robô à imagem do homem.


COMENTÁRIO

Grande clássico do movimento Expressionismo Alemão,  Metrópolis impressiona pelo seu gigantismo e trama de apelo atemporal, usando dos melhores recursos tecnológicos existentes na época consegue passar sua emocionante mensagem de forma brilhante e genial, mesmo sendo um filme feito na era do cinema mudo e sendo preto e branco, sendo uma referência obrigatória em todos filmes de ficção científica que surgiram posteriormente.
 Sendo considerado o maior épico  de ficção cientifica até o surgimento da saga Star Wars, o filme tem uma trama bastante séria e complexa, com uso de de feitos especiais incríveis, como maquetes gigantescas que impressionam pela bela arquitetura, explosões, inundações, raios, sobreposições de imagens, destruições e os efeitos típicos de sombra e luz usados pelos cineastas expressionistas, além é claro da famosa luta do bem contra o mal, tendo um final surpreendente.
 Ambientada num futuro distópico e baseado no pensamento marxista, o filme é uma poderosa crítica ao capitalismo selvagem e aos males que ele traz as pessoas, tornando elas escravas dos poderosos e das máquinas, enquanto uma pequena elite desfrutava de toda tecnologia e de uma uma vida cheia de diversão e prazeres, sendo um contraponto bastante grande, já que na época em que estava sendo rodado, a Alemanha passa por uma enorme crise econômica e social, gerada com a derrotada na Primeira Guerra Mundial (1914-1918), ocasionando o surgimento do nazismo posteriormente.
 Nesse ambiente recheado de desigualdades sociais, tais como aconteciam na Alemanha, surge um conflito em busca de liberdade, sendo o grande ápice de Metrópolis, surgindo as impressionantes cenas da destruição da Cidade dos Trabalhadores,  apresentando de forma bem lúdica as lutas sindicais por melhores condições de trabalho em toda Europa no pós-guerra, gerando conflitos entre trabalhadores e órgãos de repressão, envolvendo dois jovens apaixonados que combatem um cientista diabólico e que está a serviço da elite opressora no filme.
 Além do conteúdo político e social, o filme traz uma visão muito avançada do futuro, baseada logicamente em gibis de ficção científica como os estrelados pelo personagem Buck Rogers, que era uma verdadeira febre em todo o mundo na década de 1920, tendo prédios de enorme imponência, computadores poderosos e principalmente, robôs com inteligência artificial, sendo o primeiro filme a retratar robótica de forma realista, além é claro de retratar de forma bem aventuresca e aterrorizante a velha batalha entre os homens e as máquinas.
 Considerado até hoje um filme cult, Metrópolis é um filme importante na História do cinema, estando presente em listas de melhores filmes de todos os tempos,  sendo sempre referenciado seja em outros filmes de ficção científica, desenho animados, gibis, em séries da televisão e até mesmo em clipes musicais, como Radio Gaga da banda inglesa Queen lançada em 1983, que traz cenas do filme e acrescenta outras inspiradas na trama, enfim, é um filme obrigatório tanto para quem gosta de filmes futuristas, de uma boa aventura, de filmes antigos ou que é simplesmente apaixonado por cinema, é um filme com o selo IMPERDÍVEL, pois tudo o que vemos hoje em relação a ficção científica, a efeitos especiais e visões sobre o futuro, iniciou com Metrópolis, por esses e outros motivos tornou-se um clássico do cinema. Confirma abaixo a versão original, restaurada recentemente e completa do filme, com legendas em português:        


Grande abraço, BOM FILME, até a próxima!

terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

LIVRO: O URUGUAI- BASÍLIO DA GAMA



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Um dos grandes poetas do movimento arcadista na literatura luso-brasileira, Basílio da Gama (1741-1795), também conhecido pelo pseudônimo Termindo Sipílio (característica bem comum aos poetas e romancistas arcadistas usar pseudônimos), ficou imortalizado por ser o primeiro brasileiro a ser aceito numa academia literária européia, Arcádia Romana, na Itália, uma das mais respeitas escolas literárias da Europa no século XVIII.
 Publicado em 1769, O Uruguai (também conhecido como Uraguai) é a obra-prima escrita por Basílio Gama, sendo esse o primeiro poema épico da literatura brasileira e ambientado no Brasil, rompeu a tradição do estilo camoniano, ou seja, trata-se de um poema sem rimas, com estrofes regulares, indo de encontro com os poemas épicos da tradição greco-romana.
 Ambientado na época em que foi publicado e dedicado ao estadista português Marques de Pombal, O Uruguai narra as Guerras Guaraníticas ocorridas  no Rio Grande do Sul em meados século XVII, onde espanhóis e portugueses uniram-se contra os jesuítas e índios, gerando um massacre que dizimou os Sete Povos das Missões.
 O poema inova ao trazer pela primeira vezes os povos indígenas como heróis principais de uma epopeia, especialmente apresentando Sepé Tiaraju, um índio que lutou contra a invasão dos colonizadores europeus, tornando-se um herói e santo popular, especialmente no Rio Grande do Sul.
 O enredo  narra as expedições das tropas luso-espanholas até os Sete Povos das Missões, lutando contra os jesuítas e índios subordinados a eles, até o fim das Guerras Guaraníticas. Como grande apoiador do pombalismo, Basílio da Gama retrata os jesuítas como vilões, acusando de serem corruptos e de conquistar os povos indígenas na base da violência e tratando as tropas luso-espanholas como verdadeiros "salvadores da pátria".
 Usando um pouco da mitologia dos povos indígenas do sul do Brasil, O Uruguai é muito parecido com Os Lusíadas de Luís Vaz de Camões, apesar das diferenças poéticas e de época (o primeiro foi escrito no século XVIII e o segundo no século XVI), por dois motivos: retrata personagens históricos reais e são ambientados na época em que foram escritos.
 Além de ser uma leitura quase obrigatória para quem se interessa pela literatura brasileira, ler O Uruguai é fazer uma viagem ao tempo, podendo conhecer um dos fatos históricos mais importantes para a História do Brasil, onde dali surgiram algumas das fronteiras que o sul do país tem nos dias de hoje e o sacrifício dos primeiros habitantes para manter suas terras, mesmo com a opressão do colonizador e de aproveitadores, sendo seus feitos eternizados nesse poema escrito pelo imortal Basílio da Gama.

Um grande abraço, BOA LEITURA, tudo de bom.
        

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

A MÚSICA E A HISTÓRIA: PASCHENDALE- IRON MAIDEN


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Uma das bandas mais carismáticas do mundo do Rock, o Iron Maiden surgiu no começo da década de 80, na Inglaterra, sempre teve características de instrumental bem elaborado, vocal super afinado e letras inteligentes, criando uma verdadeira legião de fãs, lotando estádios e casas de shows pelo mundo inteiro em suas super turnês. 
 Sendo o vocalista Bruce Dickinson professor de História, a banda sempre teve preferência por fazer letras de cunho épico, mitológico e histórico, sendo a sua marca registrada, além de recriar o ambiente das letras tantos nos shows como nos clipes. Essas características ajudaram a banda consolidar o Heavy Metal, sempre influenciaram incontatáveis bandas desse gênero.
 Lançada em 2003, Paschendale faz parte do elogiadíssimo álbum Dance of Death, essa canção tem todos elementos típicos da banda, que fazem sucesso: parte instrumental pesado e suave, vocal bastante harmonioso e uma letra com enredo épico, descrevendo com riqueza de detalhes uma das batalhas mais sangrentas e longas da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), a Batalha de Passchendaele, ocorrida na Bélgica entre julho e novembro de 1917, deixando milhares de combatentes mortos e um rastro de destruição nunca visto antes, citando o dia dia dos soldados, o medo de morrer, a defesa do território, a realidade cruel das trincheiras e do campo de batalha e questiona a validade da guerra, sendo uma letra bastante poderosa. Confiram abaixo um vídeo com a música legendada, prestem bem atenção na letra:



Grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima!

domingo, 14 de fevereiro de 2016

RETRÔ: REDE MANCHETE


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Quem lembra do símbolo na figura acima? Foi sem dúvida uma das emissoras da televisão brasileira mais populares nas décadas de 80 e 90, tendo uma programação diferenciada, vencendo muitas vezes outras emissoras nos índices de audiências, logicamente que estou falando da nostálgica Rede Manchete, a qual marcou época na História da telecomunicação brasileira.
 Entrando no ar no dia 05 de junho de 1983, a Manchete foi fundado por Adolpho Bloch, sendo a primeira transmissão um discurso do fundador, mostrando como seria a programação da emissora, logo após iniciando aquele que seria o primeiro programa, Mundo Mágico.
  Desde suas primeiras transmissões, a Rede Manchete mostrava o porque ser uma emissora bastante competente, sendo capaz de se modificar com a passagem do tempo, fazendo uma programação que agradava todos os públicos, chegando a níveis de audiência altos, vencendo inclusive emissoras grandes como SBT e Globo inúmeras vezes.
 Um dos grandes carros-chefes dessa emissora foram as novelas e minisséries, que geralmente retravam acontecimentos históricos, temas místicos, políticos, ou regionalistas, como Pantanal, Xica da Silva, BridaAna Raio & Zé Trovão, Kananga do JapãoIlha das BruxasDona Beija, Mãe de Santo, O Guarani Mandacaru são lembradas nostalgicamente por muitos fãs, tanto pelas tramas envolventes como pela qualidade dessas produções.
 Mas o grande fator que ajudou a popularizar a Rede Manchete foi sem dúvida a exibição de animes e series de super heróis japoneses (tokusatsus), que marcaram época e conquistaram uma verdadeira legiões de fãs em todo o país, sendo a emissora que abriu as portas para a cultura japonesa na televisão brasileira, sendo esse o maior legado deixado pela emissora. Quem não se lembra de Os Cavaleiros do Zodíaco, Shurato, Samurai Warriors, Jaspion, Changeman, Jiraya, Yu Yu Hakusho, Super Campeões e tantos outros que fizeram um tremendo sucesso com o público infantojuvenil entre os anos 80 e 90. Abaixo confiram um vídeo feito pelo Nostalgia falando de algumas dessas produções que foram exibidas pela Manchete:


 Como são muitas, em outras oportunidades estarei falando em cada uma dessas séries japonesas exibidas pela Manchete e também das novelas e minisséries produzidas pela emissora, no intuito de dar um enfoque mais detalhado sobre cada uma delas.     
 Mesmo com o sucesso de audiência, infelizmente a Rede Manchete não aguentou as crises econômicas que teve, encerrando suas atividades no dia 10 de maio de 1999, deixando muitas saudades. Para quem quiser conhecer um pouco mais da História  e outros programas de sucesso da Rede Manchete, assistam abaixo um documentário bem legal sobre o tema:


Um grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima!

sábado, 13 de fevereiro de 2016

INFORMATIVO ESPECIAL: GOSTAR DE CINEMA



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Como todos podem perceber, tantos aqui nesse blog, quem me acompanha nas redes sociais, sabe que eu sou um aficionado por cinema, vivo falando sobre filmes, divulgando clássicos, raridades e novidades, enfim, o cinema é uma das minhas grandes paixões.
 Mas professor, onde nasceu essa paixão? Isso vem desde os tempos de infância, quando eu passava deliciosas tardes na frente da televisão assistindo Cinema em Casa, Sessão da Tarde, Cine Trash e Sessão Aventura, programas que exibiam filmes maravilhosos. Depois que fui para faculdade e percebi o potencial educacional do cinema, passei a estudar, a me interessar e a escrever sobre os filmes em blogs e em jornais em 2008, daí em diante, percebi que era um cinéfilo e assumi de vez essa paixão.
  Escrever sobre cinema é uma grande honra, além de ser prazeroso, aprendo muitas coisas sobre os mais variados assuntos, levo muito a sério essa atividade. Quero frisar que escrever sobre filmes não é simplesmente assistir e depois escrever aquilo que vem da cabeça, é necessário um estudo completo nos mínimos detalhes da obra trabalhada, muita leitura, atenção, paciência e um conhecimento prévio da industria cinematográfica e de outras artes, não é moleza e exigente muito de quem está escrevendo.
 Atualmente escrevo sobre cinema aqui nesse blog e em meu programa de rádio, o qual falo somente sobre filmes novos, clássicos e alternativos com conteúdo histórico, que tenham relevância para a disciplina de História ou sobre cultura e temas atuais, ou em outras palavras, os tais filmes didáticos, usando das teorias educacionais para trabalhar com eles.
 Para encerrar, quero dizer que todos que o espaço aqui e nos outros meios que trabalho estão abertos a sugestões, elogios, enfim o público também tem vez, pois cada vez mais me aproximar dos leitores e cinéfilos, mostrando a todos, que o cinema é muito mais do que uma arte fantasiosa, mas sim uma forma de mostrar nossos sonhos, desejos, fantasias, alegrias, tristezas, estórias, enfim um retrato fiel da vida, uma arte realmente humana, por essas e outros, eu gosto de escrever sobre cinema.

Um grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

CINE HISTÓRIA: CIDADE DE DEUS (2002)




FICHA TÉCNICA

Título OriginalCidade de Deus
Duração: 130 min.
Ano: 2002
Diretor:  Fernando Meirelles
País:  Brasil
Idiomas disponíveis e legendas: Português
Gênero: Ação/ Policial/ Drama
Temática: Regime MilitarDesigualdades Sociais/ Surgimento do Narcotráfico no Rio de Janeiro

SINOPSE (Fonte: Adoro Cinema)

Buscapé (Alexandre Rodrigues) é um jovem pobre, negro e muito sensível, que cresce em um universo de muita violência. Buscapé vive na Cidade de Deus, favela carioca conhecida por ser um dos locais mais violentos da cidade. Amedrontado com a possibilidade de se tornar um bandido, Buscapé acaba sendo salvo de seu destino por causa de seu talento como fotógrafo, o qual permite que siga carreira na profissão. É através de seu olhar atrás da câmera que Buscapé analisa o dia-a-dia da favela onde vive, onde a violência aparenta ser infinita.

COMENTÁRIO

 Superprodução do cinema nacional, Cidade de Deus é dirigido por Fernando Meirelles, baseado no livro de mesmo nome, escrito por Paulo Lins, o qual mostra o histórico da comunidade de Cidade de Deus, desde a década de 60 até os anos 80, e como ela se transformou numa das favelas mais violentas do Rio de Janeiro. Foi um sucesso mundial, elogiado por diversos astros do cinema, inclusive Tom Hanks, que classificou o filme como obra-prima do cinema mundial.
 A trama do filme conta a emocionante trajetória de Buscapé, um jovem pobre e honesto, morador da comunidade, o qual sonha em ser um grande repórter fotográfico, tentando fugir do caminho da criminalidade que o cerca desde a sua infância.
 Paralelamente, Buscapé conta a estória de diversos moradores da comunidade, e como eles contribuíram para o crescimento da favela, seja positivamente ou negativamente, além de mostrar qual influências essas pessoas tiveram em sua vida.
 Baseado em fatos reais, o filme na verdade mostra o verdadeiro histórico de como nasceu um dos mais graves problemas sociais do Brasil, o narcotráfico, iniciando uma luta intensa entre traficantes e a polícia, gerando uma explosão gigantesca de violência.
 Como o enredo do filme se passa entre os anos 60 e 80, o pano de fundo histórico de Cidade de Deus é o Regime Militar, mostrando detalhadamente os reflexos das políticas sociais feitas pelo governo, gerando condições de vida precárias aos moradores de comunidades carentes, não só no Rio de Janeiro, mas em qualquer grande cidade do Brasil, tornando fio condutor para a criminalidade.
 Comparando com a situação social de hoje, a estória de Cidade de Deus é bastante atual e pouca coisa mudou dos anos 60 pra cá, tornando o filme uma verdadeira crítica as políticas sociais que fracassaram. A mensagem do filme é que, quando se quer de verdade ser uma pessoa do bem, nada consegue impedir, mesmo estando cercado de maldade.

CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR AO FILME


Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima!

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

LIVRO: O MÉDICO & O MONSTRO- ROBERT LOUIS STEVENSON


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

Grande escritor de romances de terror e aventura, Robert Louis Stevenson (1850-1894) foi um fervoroso ativista político, jornalista e também aventureiro, sendo autores de obras de grande sucesso mundial como A Ilha do Tesouro, As Aventuras de David Balfour e O Raptado, todos considerados clássicos da literatura universal.
 Publicado originalmente em 1886, O Médico e o Monstro é um grande clássico da literatura de terror e um dos livros mais conhecidos de Stevenson, sendo adaptado várias vezes para a televisão, quadrinhos e cinema, ora de forma aterrorizante, outra de maneira cômica, variando a criatividade do diretor que adaptou o livro.
  Ambientada na Londres da Era Vitoriana, o romance conta a estranha trajetória de um doutor, que usa uma espécie de fórmula que o transforma num horrendo monstro, o qual comete inúmeros crimes brutais, tentando escapar dos efeitos devastadores, se isola socialmente, buscando uma solução definitiva para essa maldição.
 Aterrorizante e comovente, o romance é uma fábula sobre a dualidade psicológica do ser humano, ora sendo bom, ético, amável e caridoso como Doutor Jekyll, ora sendo perverso, frio, corrupto e brutal como Mr Hyde, formando assim a mente humana, conforme os desejos mais profundos que cada um tem, sendo o mote para essa estória que marcou para sempre  a forma de escrever livros de terror, tornando-se um clássico da literatura universal.


Grande abraço, BOA LEITURA, até a próxima!  

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

POEMA: TODA FESTA TEM SEU FIM



Toda festa tem seu fim,
Tudo que começa termina,
Não adianta espernear,
Só resta a melancolia,
Tudo vem e vai,
É o ciclo da vida.

Autor:  Andrio Cardoso Pereira

terça-feira, 9 de fevereiro de 2016

A MÚSICA E A HISTÓRIA: TOP 5 MÚSICAS CARNAVALESCAS COM LETRAS INTELIGENTES



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?


 Sendo um pouco diferente das postagens tradicionais da coluna, hoje faremos um A Música e a História especial, como hoje é Carnaval, vamos fazer um top 5 com músicas carnavalescas com letras que falam de História, cultura e com letras realmente inteligentes, fugindo totalmente daquela sonoridade com músicas chicletes, com letras apelativas e feitas apenas no intuito de dançar, vamos começar o nosso top 5:


5. ILÊ PEROLA NEGRA- DANIELA MERCURY (2000)



Grande diva do Carnaval da Bahia, Daniela Mercury dispensa apresentações, com uma voz poderosa e grande versatilidade, ela arrasta multidões, nessa música ela faz uma homenagem a contribuição dos africanos na formação cultura brasileira, falando da alegria, da religiosidade e do orgulho de ser afro, num ritmo bastante alegre e bastante emocionante, uma das mais belas canções interpretadas por Daniela Mercury.

4.  EXALTAÇÃO A TIRADENTES- IMPÉRIO SERRANO (1949)




Grande escola de samba do Carnaval carioca, a Império Serrano em 1949 levou para a avenida um enredo bastante arrojado para a época: a vida de Joaquim José da Silva Xavier, popularmente conhecido como Tiradentes, um dos grandes líderes da Inconfidência Mineira, revolta que tinha objetivo livrar o Brasil do domínio de Portugal, a qual ele acabou sendo enforcado e esquartejado, no dia 21 de abril de 1789, tornando-se um dos primeiros heróis pela independência, título que só receberia com a Proclamação da República em 1889. Escrita por Fernando Barbosa Júnior, Mano Décio da Viola, Estanislau Silva, Penteado e Roberto Silva , essa canção é um dos primeiros samba enredos do Carnaval do Rio de Janeiro, sendo vencedora daquele ano.

3. VAI PASSAR- CHICO BUARQUE (1983)


Outro grande artista da MPB, Chico Buarque dispensa qualquer apresentação, essa música tem um ritmo bem alegre, assim como é uma das festas populares do Brasil o Carnaval, porém o tema da canção é a História política do Brasil, em especial a época de maior repressão durante o Regime Militar, sistema política o qual na época estava vivendo e estava mostrando sinais de fraqueza.
 Ironicamente, Chico Buarque nessa canção compara a crise da ditadura com o fim da passagem de um bloco carnavalesco, afirmando que o período de repressão estava passando, e um novo bloco estava chegando na avenida, em outras palavras, a democracia.
 Lançado exatamente na época em que surgia inúmeros grupos pedindo por eleições diretas a presidente da República e pelo fim do governo dos militares, inclusive o famoso movimento Diretas Já, essa música tem um tom profético e de caráter histórico, mostrando que a MPB é um estilo musical muito ligado com a política e com que acontece no Brasil.

2. LIBERDADE! LIBERDADE! ABRE AS ASAS SOBRE NÓS- IMPERATRIZ LEOPOLDINENSE (1989)


 Famosa Escola de Samba carioca,  a Imperatriz Leopoldinense levou para a Sapucaí um tema épico em seu desfile de 1989: o centenário da Abolição da Escravatura, focalizando na figura da Princesa Isabel, responsável pela assinatura que aboliu a escravidão no Brasil em 1888. Composta por Niltinho Tristeza, Preto Jóia, Vincentinho e Jurandir, a escola foi a grande campeã do Carnaval do Rio de Janeiro em 1989. 

1.  EU QUERO É BOTAR MEU BLOCO NA RUA - SÉRGIO SAMPAIO (1973)


Em primeiro lugar uma canção inesquecível igual ao seu autor, Sérgio Sampaio (1947-1994), alcançou sucesso nacional no começo dos anos 70 combinando em sua música vários estilos musicais, especialmente o rock, blues e ritmos nacionais, com poesia e contestação social, sendo descoberto por Raul Seixas, o qual produziu seu primeiro álbum. Devido sua vida boemia e por suas canções extremamente poéticas e sombrias ganhou o apelido de Maldito da MPB, viveu períodos de grande obscuridade, mas com o tempo sua obra musical foi grande importância dentro da Música Popular Brasileira, especialmente depois de sua morte, em 1994.
 Música título de seu primeiro álbum, lançado em 1973, Eu Quero É Botar Meu Bloco na Rua foi um tremendo sucesso no Carnaval e nas rádios naquele ano, tendo diversas aparições de Sérgio Sampaio em programas de televisão, mesmo o disco sendo um fracasso de vendas.
 Usando muitas metáforas, Sérgio Sampaio na canção Eu Quero é Botar Meu Bloco na Rua dispara uma poderosa crítica a repressão feita pelo Regime Militar e a acomodação popular diante de tanta violência e perseguição, mas convida a todos para se juntar no bloco que ele pertence, ou em outras palavras, o bloco daqueles que lutam e fazem oposição a Ditadura.


Esse é o nosso primeiro Top 5 de canções temáticas. Você gostou? Quais músicas poderiam ter entrado? Comente abaixo e deem suas sugestões de canções, podem se de Carnaval e de qualquer outro ritmo, o que vale é a música ter uma letra consiste, em breve estaremos fazendo outros top 5, espero que tenham gostam e divirtam-se com essa lista.

Grande abraço, BOM FERIADO, até a próxima!

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

RETRÔ: SUNSET RIDERS





Olá caros leitores, tudo bem com vocês?


 Você conhece os personagens da figura acima? Eles fizeram parte de um dos games mais populares da empresa Konami na década de 90, onde unia ação, humor e uma aventura bem movimentada, trazendo de volta a nostalgia dos antigos filmes de faroeste, estou falando logicamente do Sunset Riders, que foi lançado em 1991 para Arcade (fliperama) e posteriormente para outros consoles  e fez um sucesso retumbante.
Empolgante e divertido jogo de plataforma, Sunset Riders transporta o jogador para o Velho Oeste, baseado no universo dos cowboys. A trama é ambientada no século XIX, onde quatro caçadores de recompensas viajam pelo oeste dos Estados Unidos buscando os mais perigosos foras-da-lei, recheada de aventura, ação e humor, semelhante aos enredos dos  filmes de faroeste.
 Misturando vários elementos presentes no universo do faroeste no cinema, televisão e quadrinhos, o game tem cenários que lembram vários clássicos do gênero,  que passam desde florestas, grandes fazendas, tavernas, prostíbulos, prisões, fortes e em cenários naturais como o Grande Canyon, tornando Sunset Riders um jogo graficamente belo e divertido, tornando-se um clássico dos games da década de 90.

Grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima!  
    

domingo, 7 de fevereiro de 2016

SRS ESPECIAL: I CARNAROCK


Olá caros leitores, tudo bem com vocês?


 Sendo um feriado prolongado mais esperado do Brasil, o Carnaval cada um comemora conforme seu costume ou com o que gosta, alguns gostam de viajar , outros participam de blocos carnavalescos, outros frequentam bailes de Carnaval com as tradicionais marchinhas, alguns vão para retiros espirituais bem longe de agitação e alguns fazem outras atividades por não gostar de Carnaval, enfim sendo uma data para todos os gostos.
 Para quem curte o bom e velho Rock'N'Roll tem muitas opções em todo o Brasil, existem inúmeros blocos especialmente para esse público, sendo um grande exemplo o Bloco do Pink Floyd na cidade de Pedralva no sul de Minas Gerais, reunindo uma verdadeira multidão de fãs da banda britânica com shows de bandas cover vindas de toda parte do país, tornando-se um dos mais tradicionais do gênero em todo o Brasil.
 Ao contrário de Pedralva, aqui no sul catarinense existem poucas opções de entretenimento para os fãs de Rock, havendo alguns pequenos shows em bares principalmente nas cidades próximas a praia, ficando praticamente restrito a isso, muitos veem a melhor opção se trancafiar em casa assistindo a DVD's de seus artistas favoritos ou simplesmente aderirem a algum bloco pelo menos para não ficar em casa.
 Tentando quebrar essa tradição que tem na região de que Carnaval não tem nada a ver com Rock, a equipe que realiza o Sombrio Rock Fest organizou a primeira edição do CarnaRock nos dias 05 e 06 de fevereiro no belíssimo sítio Lago das Figueiras em Santa Rosa do Sul, reunindo pessoas que tem em comum a paixão pelo Rock num ambiente bacana e muito acolhedor.
 Sendo dois dias de festival, o CarnaRock reuniu no total sete bandas de diversos estilos de rock diferente e oriundas de várias cidades da região, agradando todo o público presente. Na primeira noite se apresentaram as bandas Beata Maldita, D. Dus, Dezessete Linhas e Stone Garden, já na segunda noite foram a vez das bandas Auto Reverse, Eletro Rover e CaosPunk, fechando a primeira edição do evento. Confiram abaixo fotos mostrando os melhores momentos:




 Evento bem diferente e divertido, o CarnaRock  foi  feito de maneira organizada, sem acontecimento lamentáveis e de forma bem diversificada, mostrou que é possível sim realizar um evento de Rock durante o Carnaval, público tem, com toda certeza é um acontecimento histórico em Santa Rosa do Sul e na região.
 Quero parabenizar a todas as bandas, aos organizadores e aos responsáveis pelo Lago das Figueiras pelo belíssimo evento, fiquei realmente admirado com tudo que vi, torço que tenha mais outras edições do evento nos próximos anos e podem ter certeza, esse blog será um grande apoiador do evento, Santa Rosa do Sul e região estão de parabéns de mostrar que o bom e velho Rock tem tudo a ver com Carnaval.


Grande abraço, BOA SEMANA, até a próxima!
     


sábado, 6 de fevereiro de 2016

INFORMATIVO ESPECIAL: PEQUENA DEFINIÇÃO DE CULTURA



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Em praticamente todas as postagens que faço nesse blog, especialmente os informativos relacionados as temáticas regionais, falo muito a palavra cultura, considerando que esse blog tem finalidades culturais e educacionais, levanto essa bandeira há mais de duas décadas, acredito que é na cultura esteja a base de um país e mundo melhor, hoje iremos falar sobre o que é cultura de uma forma bem simplificada e de fácil entendimento, frisando que não é um conceito definitivo e ele muda conforme a época, apesar de ter sempre a mesma premissa. 
Cultura pode ser entendida como um conjunto de modos de vida criados e transmitidos de geração em geração entre membros de um determinado lugar, país, comunidade, cidade ou família (clã, tribo, etc). Ela pode ser material, o qual são objetos produzidos que forma o ambiente concreto de uma sociedade, podendo ser utensílios, construções, tecidos, transportes e muito mais; imaterial são as formas tradicionais e populares de cultura, sendo passado de geração em geração, como por exemplo, festas, lendas, receitas, danças, músicas, etc.
 Além desse sentido, a palavra cultura é também usada na agricultura que significa plantação de um determinado tipo de verdura ou fruta, conforme seu modo de plantação e colheita, variando conforme as técnicas usadas no cultivo de cada espécie, sendo um termo bastante usado por técnicos, agricultores e população em geral.
 Podendo ser de ordem material ou imaterial, a cultura também pode manter as traições e agregar elementos conforme a passagem do tempo ou até mesmo da atualidade, fazendo que ela consiga sobreviver até hoje, havendo inúmeros tipos de cultura, para não estendermos muito, vamos conhecer as três principais.
 A Cultura Popular, como já o próprio nome já diz, é aquela surgida nas camadas populares, passada de geração para geração, através das tradições, como por exemplo as lendas, cantigas, danças típicas, os causos, gastronomia, as brincadeiras, a vestimentas tradicionais, em outras palavras, todas as manifestações oriundas do folclore

Sendo algo de muita sofisticação e de um gosto bastante apurado, a Cultura Erudita é  aquela ensinada através da música, literatura clássica, foto, cinema mais refinado, artes, filosofia, balé, opera, teatro, etc. Erroneamente, muitos acham que o verdadeiro significado de cultura é erudição, mas não é só coisas sofisticadas, a cultura também tem elementos simples, oriundas das camadas mais populares, portanto, é bom conhecer um pouco mais antes de sair falando coisas por aí, confundindo um com o outro.

Sendo uma verdadeira salada de frutas, a Cultura Geek faz fusão de elementos populares e eruditos com gibis, games, séries de televisão, desenhos animados, filmes de sucesso, música pop, internet, criando novas manifestações cultuadas por jovens e saudosistas, exemplo clássico disso são os filmes do diretor Quentin Tarantino.

 Além de todos esse elementos, temos que aprender que cultura é a identidade de um povo, grupo ou lugar, não podemos dizer que determinado local não tem cultura por simplesmente não seguir nosso costumes ou tradições, isso infelizmente acontece constantemente, portanto sempre é bom procurar informações sobre o lugar e sua cultura, pois queira ou não, a cultura faz parte de nossa vida de forma direta ou indiretamente.

Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima!



sexta-feira, 5 de fevereiro de 2016

SRS ESPECIAL: BANDA CASSANDRA 23



Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 Desde o principio de sua História, Santa Rosa do Sul sempre foi um grande celeiros de talentos culturais, principalmente na parte da música, uma das grandes paixões do povo sul santarosense, havendo inclusive festivais de músicas como o FEMUC e FEMEC, que são atualmente atrações da Polvilhana, comprovando as informações citadas acima, atraindo sempre uma multidão que vem para torcer por seus artistas favoritos, sendo um momento especial em nossa cultura.
 Tanto no passado como no presente, muitos desses artistas foram grandes influências paras as novas gerações, como acontece com Alexandre Perreira Ferreira, grande talento musical que faz parte da primeira geração do Rock sul santarosense, sempre é uma grande influência musical para as gerações de músicos que surgiram posteriormente, sendo ensinando música para garotada ou por suas participações  em FEMUC ou em shows com sua atual banda, a Eletro Rover, a qual iremos falar em breve aqui no blog.
 Um dos grandes influenciados pelo trabalho musical de Alexandre sem dúvida é a gurizada do Cassandra 23, banda daqui de Santa Rosa do Sul formada em 2007, que se apresentou várias vezes na Polvilhana, sempre com apresentações bastante empolgantes e bastante engraçadas, marca registrada da banda.
 Formada por Sam, Tom, Luan, Kaue, Barreto e Haia, a banda tem forte influência do Rock humorístico da década de 90 feitos por bandas como Mamonas Assassinas, Inimigos do Rei e Baba Cósmica, sempre com letras irreverentes, algumas politizadas e releituras musicais, com uma batida que une Punk, Ska e Pop, fazendo um Rock divertido e num ritmo bastante festivo, sempre com muita criatividade.
 Mesmo tendo alguns cover do Nirvana gravado na internet, o Cassandra 23 em 2015 lançou seu primeiro álbum, intitulado A Luta do Gado Bovino, tendo quinze faixas, sendo quatorze delas composições próprias e uma releitura bacana da canção Que Bonita Sua Roupa, trilha sonora da série mexicana Chaves, o qual pode ser conferido na integra abaixo:


   

Quero parabenizar a toda banda Cassandra 23 pelo trabalho, o álbum está bastante divertido, a produção está caprichada e criatividade nota mil, continuem assim e podem contar com esse blog quando precisar, inclusive outras bandas e artistas de Santa Rosa do Sul, em outras oportunidades estarei homenageando outras bandas e artistas, aqui a cena musical local tem vez e voz, apoio todas as iniciativas que surjam, espero poder ver muitos artistas lançado seus álbuns e fazendo sucesso, podem ter certeza, esse blog é a casa de vocês, pois onde tem cultura, o professor e historiador vai apoiar.

Grande abraço, BOM FIM DE SEMANA, até a próxima!  

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2016

POEMA: MUITA BOBAGEM


Hoje em dia,  existe muita bobagem,
Seja na rua, televisão, rádio, jornais, na internet,  até mesmo perto da gente,
Em todo lugar se fala bobagem, tanto que muitos já se acustumaram,
Basta  falar algo, pode ser a maior mentira, acredita,
Portanto, não devemos engolir qualquer coisa,
Não ir atrás de qualquer estorinha da carochina,
Evitar reproduzir porcarias que dizem por aí,
Ver tudo com olhar de seriedade,
Assim evitaremos propagação de besteiras,
E viveremos mais tranquilos.

Autor: Andrio Cardoso Pereira

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

LIVRO: SOBRE O CÉU E A TERRA- JORGE BERGOGLIO & ABRAHAM SKORKA




Olá caros leitores, tudo bem com vocês?

 No dia 13 de março de 2013, o então Arcebispo de Buenos Aires, Jorge Mario Bergoglio foi eleito o novo papa da Igreja Católica, após a renúncia do Papa Bento XVI no dia 28 de fevereiro de 2013, adotando o nome de Francisco, sendo o primeiro papa nascido no continente americano, quebrando a tradição de papas de origem europeia, além de ser o primeiro papa jesuíta da História da Igreja Católica.
 Publicado na Argentina três anos antes de ser eleito papa, Sobre o Céu e a Terra é um livro fundamental para conhecer as idéias e o que pensa o Papa Francisco sobre diversos temas da atualidade, inclusive o papel da Igreja em nosso tempo. No Brasil esse livro só foi publicado em 2013, devido  o conclave que elegeu Jorge Bergoglio como papa. 
 Escrito juntamente com seu grande amigo, o rabino Abraham Skorka, esse livro não é uma biografia contando a vida do Papa Francisco, mas sim um diálogo inter-religioso, onde temas como família, homossexualismo, História, o papel das religiões, a política na Argentina, o ecumenismo, o respeito as diferenças, os conflitos na Terra Santa, o Holocausto, as ditaduras na América Latina nos anos 70 e muitos outros temas, feito em forma de uma conversa bem franca e sem rodeios, onde os dois mostram seus conhecimentos e aquilo que pensam sobre esses temas.
 Compartilhando uma simplicidade imensa, o Papa Francisco e o rabino Abraham Skorka defendem nesse livro uma sociedade mais justa, onde todos respeitem as diferenças religiosas e que os lideres religiosos devem ir de encontro as pessoas que sofrem, trabalhando para mudar essa realidade em prol de toda a sociedade.
 Sendo uma obra fundamental para entender um dos líderes religiosos mais importantes da atualidade, Sobre o Céu e a Terra é uma leitura obrigatória, pois além de apresentar as idéias do Papa francisco e do rabino Abraham Skorka, é um exemplo único e bonito de que é possível sim um dialogo inter-religioso e convivência pacífica dos mais variados credos em todos os lugares do mundo, essa é a grande lição que esse livro deixa a todos os leitores. 

Um grande abraço, boa leitura, até a próxima. 

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

CINE HISTÓRIA: CORAÇÕES DE FERRO (2014)



FICHA TÉCNICA

Título OriginalFury 
Duração: 134 min.
Ano: 2014
Diretor:  David Ayer 
País:  Estados Unidos
Idiomas disponíveis e legendas: Português e Inglês
Gênero: Épico/ Guerra/ Ação/ Drama Histórico
Temática: Segunda Guerra Mundial

SINOPSE (Fonte: Adoro Cinema)

Durante o final da Segunda Guerra Mundial, um grupo de cinco soldados americanos é encarregado de atacar os nazistas dentro da própria Alemanha. Apesar de estarem em quantidade inferior e terem poucas armas, eles são liderados pelo enfurecido Wardaddy (Brad Pitt), sargento que pretende levá-los à vitória, enquanto ensina o novato Norman (Logan Lerman) a lutar.


COMENTÁRIO 

 Poderoso épico bélico dirigido por David Ayer, Corações de Ferro é um filme altamente realista, de uma cenografia gigantesca,  explosivas cenas de ação muito bem dirigidas, trilha sonora surpreendente, personagens psicologicamente humanizados e um elenco fantástico encabeçado por Brad Pitt, Shia LaBeouf, Michael Peña, Logan Lerman e  Jason Isaacs, misturando ação incessante com um drama histórico bastante intenso.
 Ambientado nas últimas semanas da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), o filme retrata como era  cotidiano em um batalhão aliado de blindados no conflito, os dramas pessoais diante de tanta violência, as formas de organizações de ataque usadas pelos tanques de guerra, os perigos enfrentados durante as batalhas, as táticas usadas pelos nazistas, a destruição das cidades alemães, a vida dos civis diante da guerra e o dilema entre obrigação e ser correto são temas trabalhados com ênfase do primeiro ao último minuto do filme.
 Mesmo parecendo mais uma produção sobre a Segunda Guerra Mundial baseado na luta entre aliados e nazistas, o filme busca mais no psicológico dos personagens mostrar o horror da guerra, onde os personagens são expostos a situações horríveis, definindo o caráter de cada um deles, mesmo tendo cenas de ação incrivelmente bem feitas, que deixam o filme ainda mais interessante e um apelo pacifista de grande força. 


CLIQUE AQUI PARA ASSISTIR!


Grande abraço, BOA SESSÃO, até a próxima!